Poesia

Insano

Deparo com os seus caprichos, nem me lixo... 
sigo meus passos, cantarolando aquela nossa canção 
relembrando todos os descasos 
me envolvo na minha ilusão, 
de ter o que não posso ser.
O mundo desabando em meus ombros, 
eu digo o que não quero falar
me vejo batendo palmas pro absurdo,
e desisto de navegar... buscar
no porto eu reencontro a esperança,
mas o por do sol em seu reflexo,
encobriu toda a minha dança
envolto do universo
pra dizer que te amo,
quis invadir seu íntimo a fundo
experimentar  o insano desejo
e o medo de declarar 
e me perder no desengano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *